Em Castelo de Vide (a 15km) deixe-se levar pelas ruas labirínticas e estreitas que parecem não ter saída mas que, afinal, vão sempre dar a algum sitio.

As floreiras à janela, o empedrado das ruas, a fantástica colecção de arcos ogivados nas portas das casas (uma das maiores da Península Ibérica), o castelo e as casas, ainda hoje habitadas dentro das muralhas, a judiaria, o burgo medieval ou a Fonte da Vila, transportam-nos a outros tempos. Despertam-nos os sentidos, revelando recantos de história e tradição.

Por entre a adminirável arquitectura de igrejas e capelas, encontre a majestosa praça de D. Pedro V, enquadrada pelo casario singelo onde nasceram homens notáveis, como o médico Garcia d’Orta, o político Mouzinho da Silveira ou o capitão Salgueiro Maia.

Terra abundante em água, ou não estivesse em pleno Parque Natural da Serra de S. Mamede, Castelo de Vide orgulha-se das suas fontes e é igualmente conhecida como a Sintra do Alentejo, tal é a semelhança dos caminhos verdejantes que levam à vila, sejam provenientes de Marvão, de Portalegre ou de Nisa.

As calçadas medievais da Serra de S. Paulo são ainda hoje, percorridas pelos amantes do turismo de natureza ou pelos curiosos em busca de vestígios tanto romanos, como megalíticos, que se encontram disseminados por toda a região, nomeadamente nas proximidades da barragem de Póvoa e Meadas, local aprazível e uma das primeiras hidroelectricas a ser construída em Portugal.

Castelo de Vide tem um património, arquitectónico e Cultural que não se esgota no que se pode apreciar com um olhar: a gastronomia, as tradições, a religiosidade do povo que se manifestam de forma particularmente intensa nas Festas de Santa Maria de Agosto ou na Páscoa, com todo um conjunto de festividades cuja origem se perdeu no tempo.

Castelo de Vide é acima de tudo um convite a descobrir uma terra de emoções, História e património, um lugar que fica na memória.